domingo, 29 de março de 2009

Cacarecos guardados com charme


Prático, jeitosinho e tem seu charme.Quem resiste?
Está em cacareco.net

Esta é uma das vantagens de se ter uma cama grande


Sessenta cardápios secam tranquilamente sobre ela.



Semiprontos eles aguardam a impressão das páginas internas para a finalização do trabalho.

terça-feira, 24 de março de 2009

terça-feira, 17 de março de 2009

Produzindo material para o estágio



Estou fazendo um estágio numa turma da ensino fundamental de uma escola aqui no bairro.Final de semana fiquei preparando atividades para trabalhar com eles.Confeccionei um cenário em feltro.Nele, um bolso como se fosse vegetação.Com um castelo que encaixa-se no mesmo e figuras recortadas de revistas, coladas em papel cartão, irei contar uma história.Conforme for contando irei fixando as figuras no cenário.Para isso colei no verso de cada uma um pedaço de velcro ou de lixa grossa.Funciona direitinho.O teste drive fiz em casa com a Luiza, é claro.O que mais gostei foi que ela imediatamente quis criar sua própria historia para me contar utilizando todo o material.Se as crianças da escola ficarem interessadas assim, me considerarei com a missão cumprida!Pelo menos no que diz respeito a agradá-las.
Depois eu conto.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Deliciosamente deliciosa!



Que saudade!Saudade deste sorriso(ninguém sorri como ela), destes olhinhos que sorriam quando ela falava.Saudade do jeitinho, da sapequice, da alegria, da presença e companhia.Saudades...

Será uma sereia,ou um golfinho?



Achei que ela tinha nascido para dançar, mas agora estou vendo que na piscina ela parece estar "em casa".Uma graça!

Hum!Como isso é gostoso!



Luiza e eu ganhamos do Zé esta deliciosa caixinha.Que gentileza!
Caminhando pelo centro de São Paulo ele descobriu um cantinho que tem coisas da terrinha.Hum!E nos fez este agrado.
Estes na verdade são fabricados em Atibaia,e são deliciosos.A massa é um pouquinho mais grossa do que dos originais, acho que pra aguentar o transporte sem quebrar-se toda.
Cada caixinha destas tem nove doces.
Estamos apreciando e saboreando cada dia um pouquinho.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Significados

Adeus:
É quando o coração que parte deixa a metade com quem fica.
Amigo:
É alguém que fica para ajudar quando todo mundo se afasta.
Amor ao próximo:
É quando o estranho passa a ser o amigo que ainda não abraçamos.
Caridade:
É quando a gente está com fome, só tem uma bolacha e reparte.
Carinho:
É quando a gente não encontra nenhuma palavra parra expressar o que sente e fala com as mãos, colocando o afago em cada dedo.
Ciúme:
É quando o coração fica apertado porque não confia em si mesmo.
Cordialidade:
É quando amamos muito uma pessoa e tratamos todo mundo da maneira que a tratamos.
Doutrinação:
É quando a gente conversa com o Espírito colocando o coração em cada palavra.
Entendimento:
É quando um velhinho caminha devagar na nossa frente e a gente estando apressado não reclama.
Evangelho:
É um livro que só se lê bem com o coração.
Evolução:
É quando a gente está lá na frente e sente vontade de buscar quem ficou para trás.
:
É quando a gente diz que vai escalar um Everest e o coração já o considera feito.
Filhos:
É quando Deus entrega uma jóia em nossa mão e recomenda cuidá-la.
Fome:
É quando o estômago manda um pedido para a boca e ela silencia.
Inimizade:
É quando a gente empurra a linha do afeto para bem distante.
Inveja:
É quando a gente ainda não descobriu que pode ser mais e melhor do que o outro.
Lágrima:
É quando o coração pede aos olhos que falem por ele.
Lealdade:
É quando a gente prefere morrer que trair a quem ama.
Mágoa:
É um espinho que a gente coloca no coração e se esquece de retirar.
Maldade:
É quando arrancamos as asas do anjo que deveríamos ser.
Netos:
É quando Deus tem pena dos avós e manda anjos para alegrá-los.
Ódio:
É quando plantamos trigo o ano todo e estando os pendões maduros a gente queima tudo em um dia.
Orgulho:
É quando a gente é uma formiga e quer convencer os outros de que é um elefante.
Paz:
É o prêmio de quem cumpre honestamente o dever.
Perdão:
É uma alegria que a gente se dá e que pensava que jamais teria.
Perfume:
É quando mesmo de olhos fechados a gente reconhece quem nos faz feliz.
Pessimismo:
É quando a gente perde a capacidade de ver em cores.
Preguiça:
É quando entra um vírus na coragem e ela adoece.
Raiva:
É quando colocamos uma muralha no caminho da paz.
Saudade:
É estando longe, sentir vontade de voar, e estando perto, querer parar o tempo.
Sexo:
É quando a gente ama tanto que tem vontade de morar dentro do outro.
Simplicidade:
É o comportamento de quem começa a ser sábio.
Sinceridade:
É quando nos expressamos como se o outro estivesse do outro lado do espelho.
Solidão:
É quando estamos cercados por pessoas, mas o coração não vê ninguém por perto.
Supérfluo:
É quando a nossa sede precisa de um gole de água e a gente pede um rio inteiro.
Ternura:
É quando alguém nos olha e os olhos brilham como duas estrelas.
Vaidade:
É quando a gente abdica da nossa essência por outra, geralmente pior.

(Do Livo "O homem que veio da sombra", de Luiz Gonzaga Pinheiro)

Projeto obriga políticos a matricularem seus filhos em Escolas

"O ex-ministro da Educação e senador Cristovam Buarque apresentou projeto de lei no Senado que determina a obrigatoriedade de políticos eleitos matricularem seus filhos nas escolas públicas, como forma de comprometê-los com a melhoria da qualidade de ensino no País. A proposta, apresentada em 2007, prevê a implementação da medida até 2014.
Pode-se estimar, segundo o ex-ministro, que os 64.810 ocupantes de cargos eleitorais - vereadores, prefeitos e vice-prefeitos, deputados estaduais, federais, senadores e seus suplentes, governadores e vice-governadores, Presidente e Vice-Presidente da República - deduzam um valor total de mais de 150 milhões de reais nas suas respectivas declarações de imposto de renda, com o fim de financiar a escola privada de seus filhos alcançando a dedução de R$ 2.373,84 inclusive no exterior. Considerando apenas um dependente por ocupante de cargo eleitoral.

\"Além de deixarem as escolas públicas abandonadas, ao se ampararem nas escolas privadas, as autoridades brasileiras criaram a possibilidade de se beneficiarem de descontos no Imposto de Renda para financiar os custos da educação privada de seus filhos\", diz o senador, na justificativa do projeto.


Confira a íntegra do projeto e da justificativa:


PROJETO DE LEI DO SENADO Nº , DE 2007

Determina a obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricularem seus filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014.

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Art. 1º Os agentes públicos eleitos para os Poderes Executivo e Legislativo federais, estaduais, municipais e do Distrito Federal são obrigados a matricular seus filhos e demais dependentes em escolas públicas de educação básica.

Art. 2º Esta Lei deverá estar em vigor em todo o Brasil até, no máximo, 1º de janeiro de 2014.

Parágrafo Único. As Câmaras de Vereadores e Assembléias Legislativas Estaduais poderão antecipar este prazo para suas unidades respectivas.

JUSTIFICAÇÃO

No Brasil, os filhos dos dirigentes políticos estudam a educação básica em escolas privadas. Isto mostra, em primeiro lugar, a má qualidade da escola pública brasileira, e, em segundo lugar, o descaso dos dirigentes para com o ensino público.

Talvez não haja maior prova do desapreço para com a educação das crianças do povo, do que ter os filhos dos dirigentes brasileiros, salvo raras exceções, estudando em escolas privadas. Esta é uma forma de corrupção discreta da elite dirigente que, ao invés de resolver os problemas nacionais, busca proteger-se contra as tragédias do povo, criando privilégios.

Além de deixarem as escolas públicas abandonadas, ao se ampararem nas escolas privadas, as autoridades brasileiras criaram a possibilidade de se beneficiarem de descontos no Imposto de Renda para financiar os custos da educação privada de seus filhos.

Pode-se estimar que os 64.810 ocupantes de cargos eleitorais - vereadores, prefeitos e vice-prefeitos, deputados estaduais, federais, senadores e seus suplentes, governadores e vice-governadores, Presidente e Vice-Presidente da República - deduzam um valor total de mais de 150 milhões de reais nas suas respectivas declarações de imposto de renda, com o fim de financiar a escola privada de seus filhos alcançando a dedução de R$ 2.373,84 inclusive no exterior. Considerando apenas um dependente por ocupante de cargo eleitoras.

O presente Projeto de Lei permitirá que se alcance, entre outros, os seguintes objetivos:

a) ético: comprometerá o representante do povo com a escola que atende ao povo;

b) político: certamente provocará um maior interesse das autoridades para com a educação pública com a conseqüente melhoria da qualidade dessas escolas.

c) financeiro: evitará a \"evasão legal\" de mais de 12 milhões de reais por mês, o que aumentaria a disponibilidade de recursos fiscais à disposição do setor público, inclusive para a educação;

d) estratégica: os governantes sentirão diretamente a urgência de, em sete anos, desenvolver a qualidade da educação pública no Brasil.

Se esta proposta tivesse sido adotada no momento da Proclamação da República, como um gesto republicano, a realidade social brasileira seria hoje completamente diferente. Entretanto, a tradição de 118 anos de uma República que separa as massas e a elite, uma sem direitos e a outra com privilégios, não permite a implementação imediata desta decisão. Ficou escolhido por isto o ano de 2014, quando a República estará completando 125 anos de sua proclamação. É um prazo muito longo desde 1889, mas suficiente para que as escolas públicas brasileiras tenham a qualidade que a elite dirigente exige para a escola de seus filhos.

Seria injustificado, depois de tanto tempo, que o Brasil ainda tivesse duas educações - uma para os filhos de seus dirigentes e outra para os filhos do povo -, como nos mais antigos sistemas monárquicos, onde a educação era reservada para os nobres.

Diante do exposto, solicitamos o apoio dos ilustres colegas para a aprovação deste projeto.

Sala das Sessões,

Senador CRISTOVAM BUARQUE "

Está em:http://www.cristovam.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=2540&Itemid=2

terça-feira, 3 de março de 2009

Um Erro Não Justifica o Outro

Quando alguém errar com você, deixe que erre sozinho.Não faça companhia.Mantenha-se firme, digno, reto em seus propósitos e crenças.Você é quem escolhe suas ações e reações.E responderá sempre e somente por suas atitudes.Às atitudes do outro quem responderá será o outro.Portanto deixe-o acompanhado de seus próprios equívocos.